... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A hora de Virginia...


"Melancólica caminha nua identificada com o corpo do passarinho a se desligar da vida e com os dantescos pedaços de carne crua a se dissolverem em nossas bocas. Virginia não gosta de comer, já trás dentro de si o fastio não digerível da cegueira alheia que aumenta com pão e pedra o buraco, sem fundo, de nossa verdade inexata.

Passeia distante, desatada das mãos que a tocam, avessa de si, pela outra margem da vida.

Seus dedos e seu olhar tocam o vento e as flores e transformam em palavras o que percebe nas águas claras do rio. Há de se ter sabedoria para entender a alma da Mulher, que sem corpo, só com língua, constrói o mundo ao seu redor.

Virginia é muda. Escreve e cria seus personagens dando vazão ao seu olhar comprido. À longa distância percebe, com sua real e vermelha dor, o leito transparente de leite." (As Horas de Stephen Daldry)