... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Depressão o corpo fala...

A depressão é uma doença grave e, pode está associada à várias enfermidades, sejam as auto-imunes ou até casos como câncer. É como se o corpo expressasse todo o sofrimento acumulado na mente.




"Qual a relação das doenças clínicas e a depressão?

Quando adoecemos experimentamos diversas emoções: medo, raiva, tristeza e depressão. Essas emoções são capazes de ativar áreas cerebrais, com liberação de neurotransmissores e hormônios, e consequente geração de respostas somáticas. O hipocampo exerce importante função relacionada ao comportamento e apresenta íntima relação com o sistema imunológico. As relações entre a amígdala e o hipotálamo estão intimamente ligadas às sensações de medo e raiva. Enquanto a amígdala é responsável pela detecção, geração e manutenção das emoções relacionadas ao medo, pelo reconhecimento das expressões faciais de medo e respostas às ameaças e ao perigo, o hipotálamo está relacionado à raiva, que se manifesta basicamente por comportamentos agressivos. A tristeza e a depressão estão relacionadas ao sistema límbico que é um complexo de estruturas cerebrais que constituem o principal centro das emoções. A Medicina Nuclear tem nos revelado dados importantes sobre a neuroquímica cerebral. Os estudos realizados com SPECT (tomografia computadorizada de emissão de fóton único), que medem o fluxo sanguíneo e os níveis da atividade cerebral, revelam que quando o sistema límbico está hiperativo o sujeito é afetado por sentimentos de negatividade e depressão. Isso ocorre porque o sistema límbico armazena todas as lembranças carregadas de emoções boas ou ruins que o indivíduo vivenciou durante toda a vida, e se esse sistema está hiperativo a pessoa tende a interpretar eventos neutros ou até mesmo os eventos positivos através de um filtro negativo. O sistema límbico é responsável também por outras funções significativas como, por exemplo, a motivação, o desenvolvimento de ligações afetivas e contatos sociais. Por isso, é comum a pessoa deprimida sentir-se desmotivada para atividades que antes eram prazerosas, e apresentar uma tendência ao isolamento.

É fato que a síndrome depressiva está presente concomitantemente a quase todas as patologias clínicas crônicas (exemplo: infarto do miocárdio, dor, doença arterial coronariana, doença pulmonar obstrutiva crônica, tabagismo, diabetes, câncer, demência, incontinência urinária, hipo ou hipertireoidismo etc).

A associação de depressão e doenças clínicas ocasiona piores evoluções, menor adesão ao tratamento, pior qualidade de vida e maior morbidade como um todo. Apesar disto, a depressão ainda é subdiagnosticada. Isto ocorre por diversos fatores entre os quais podemos citar a ênfase nos sintomas somáticos em detrimento das queixas cognitivas e afetivas; o medo de estigmatizar o paciente com um diagnóstico psiquiátrico; os sintomas físicos apresentados serem comuns à depressão e as condições clínicas (ex: fadiga, diminuição de apetite, dores, alterações do sono e perda de peso; irritabilidade); ausência de treinamento e habilidade dos profissionais para lidar com os transtornos psiquiátricos, dentre outros." 
(Dra. Kátia de Vasconcellos Mathias, Médica Psiquiatra)