... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

domingo, 3 de junho de 2012

Arrogância... Fantasia da alma solitária

"Os arrogantes são os que menos conseguem conviver com a finitude, a liberdade, com a solidão e com a falta de sentido da vida. Eles se julgam imortais, eles querem ditar as regras para os outros, eles recusam o silêncio e não vivem sem os aplausos e holofotes, dos quais são patéticos dependentes. A arrogância e a falta de humor conduzem muita gente a um sofrimento que poderia ser bastante minimizado: bastaria que eles tivessem mais tolerância diante das incertezas." Martha Medeiros

 
É naquele olhar frio de Lúcio que me causa arrepios como se passasse um vento gelado pela espinha. Sempre com aquele estereótipo de superioridade em sua face estática, incapaz de expor seus sentimentos ternos. Até com os filhos ele é negativo e parece estar competindo. Aquela arrogância acabava comigo e me fazia sentir a mais inferior das criaturas... Foi assim, que Nina desabafou sua insatisfação, perante os inevitáveis encontros sociais com seu ex-marido. Lembrei-me de um livro do famoso psiquiatra  Roberto Shinyashiki, A Coragem de Confiar, em que diz: 

"O pai confiante transmite confiança aos filhos, enquanto o arrogante os coloca para baixo. O marido confiante faz a esposa se sentir amada, enquanto o arrogante a humilha na frente dos amigos. O marido que acredita em si mesmo quer ter uma mulher para amar, enquanto o vaidoso quer uma esposa para servi-lo."

Eu sabia de toda aquela arrogância dele, das vezes em que a expunha  publicamente, dos comentários de mau gosto, da agressividade gratuita diante da discordância de qualquer assunto, da maneira de se portar como  o papai-sabe-tudo e do ciúme infundado por Nina quando ainda estavam casados.  Na realidade, quem teve a perder com separação certamente foi ele. Mas, apenas expus minha opinião quanto às qualidades e virtudes dela, na tentativa de que compreendesse que não valia a pena se deixar abalar por alguém que não a merecia.

Acontece que, o arrogante tem complexo de inferioridade e para compensar essa frustração menospreza os outros que julga superior. Lançando mão de críticas para diminuir o outro, por insegurança e temendo rejeição por se sentir incapaz de ser amado.

Essa arrogância demonstra a personalidade narcisista, em que  prepotência e presunção, utilizadas nas agressões e nas grosserias são demonstrações de auto-defesa, diante da fantasia de rejeição. Podendo estar ligada a questão edipiana. Tendo em vista que, nas personalidades psicóticas há uma predominância da arrogância, curiosidade e estupidez. No sentido de que ao invés do orgulho, caracteriza a arrogância, bem como no desconhecimento há a estupidez e por fim, a curiosidade dá lugar a intrusão.

Outra relevância, da personalidade psicótica está quanto a fuga da verdade, predominando as distorções, as omissões ou as mentiras. 

Contudo, por mais que haja a necessidade em socializarmos, os arrogantes são almas solitárias e de difícil convívio. Daí, sua incapacidade de manter vínculos.

"Muitos são orgulhosos por causa daquilo que sabem; face ao que não sabem, são arrogantes." Goethe