... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Metade Frida Kahlo, a outra Camille Claudel...

É uma dor aguda me paralisando os movimentos pela dilaceração da espinha. Segue crônica me roubando a vida. Assim, acometida de uma intensa crise de coluna fruto de um desequilíbrio de pensamentos somatizado em meu corpo, tão cansado que insiste em parar.

Sozinha, penso na solidão de Frida Kahlo e me sinto a própria desintegração, presa num corpo que é somente dor. 




''Eu vou mal e irei pior ainda mas aprendo pouco a pouco a ser só, e isso já é alguma coisa, uma vantagem, um pequeno triunfo.''




Daí, me vem em mente outra solitária aprisionada em suas dores, Camille Claudel. Então, seguirei em frente... 
"Lembre-se sempre que a pele se enruga
O cabelo se torna branco
Os dias se transformam em anos
Mas o importante não muda
A sua força e sua segurança não têm idade. O seu espírito é o espanador de qualquer teia de aranha
Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida
Atrás de cada engano, há outro desafio
Enquanto estiver viva, sinta-se viva
Se fizer algo diferente, volte a fazê-lo
Não viva de fotos amareladas
Siga em frente ainda que todos esperem que desista
Não deixe que se oxide o ferro que existe em você
Faça com que, em vez de pena, tenham respeito por você
Quando, devido à idade não puder correr, ande depressa
Quando não puder andar depressa, caminhe
Quando não puder caminhar, use a bengala
Mas não pare nunca!"