... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

sábado, 30 de abril de 2011

A dor do amor perdido...




"Sendo dependentes do objeto de amor escolhido,... nós nos expomos à mais forte das dores se somos desprezados por ele ou se perdemos por motivo de infidelidade ou de morte." Freud, in Luto e Melancolia






Carlos ao me deixar por Camila, seguiu em viagem... Chorei por todos os anos em que quase nunca tive esse privilégio. Era um misto de raiva e ódio, tanta dedicação com privações, justamente das viagens que sempre almejei e ele nunca me proporcionara.

Os meses foram passando e Carlos não havia buscado seus pertences, seu guarda-roupa estava intacto, apenas com ausência de poucas peças, na sala os porta-retratos ainda permaneciam com suas imagens. A cada objeto me remetia a sua lembrança e a dor de sua deslealdade.

Da cólera das discussões na sua partida, restou-me a melancolia numa dor que me rasgava o peito. Era impossível imaginar que ele não havia sido somente infiel, fora desleal.

Logo, com Camila, que era desprovida de respeito ao próximo, embora se fizesse de santa. Tinha fortes traços de transtorno de personalidade, fria, sem afeto e principalmente sem qualquer sentimento de culpa, se utilizava das mais baixas armas. Perante Carlos, se portava de compreensiva, amável, equilibrada, segura e principalmente disposta a ser sua escrava sexual em todos os sentidos. Mas, na busca incessante em tirá-lo de casa a todo custo, não mediu nenhum princípio ético ou moral, usou todas as formas e maneiras para que eu tomasse ciência do caso extraconjugal, tripudiou meus sentimentos com ligações anônimas, me injuriou gratuitamente mesmo após a saída de Carlos do lar.

Obviamente, se sentia insegura em relação à mim, por ser bem mais velha e feia. Portanto, não mediu esforços em alimentar seu narcisismo patológico.

Já não suportava mais o fantasma de Carlos, juntei todas as suas coisas e ele partiu. Deixando um vazio que me levou ao sofrimento e angústia culminando numa depressão capaz de me tirar do mundo externo.