... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Aonde ela estava quando você mais precisou... ?



"Vestia-se, pintava-se com cuidado, mas seu rosto endurecido, já gasto, não podia suscitar um novo amor; poderia ela própria amar outro depois de vinte anos à sombra de um homem ? Restam ainda muitos anos de vida quando se tem 40 anos. 


Revejo outra mulher que conservava olhos belos, traços nobres, apesar de um rosto inchado pelo sofrimento e que deixava, sem o perceber sequer, as lágrimas escorrerem-lhe pelas faces, em público, cega e surda. Agora, o deus diz a outra as palavras inventadas para ela; rainha destronada, não sabe mais se jamais reinou sobre um verdadeiro reino." (Simone de Beauvoir in Segundo Sexo)

Mesmo vivendo num exílio sentimental, disfarçado pela felicidade de fachada, não havia como evitar as notícias vindas de lá. Aonde, meu par saciava-se na hipocrisia de um romance fadado ao fracasso. 

Ciente de seu luto pela dor, eu era impedida de dar-lhe colo e o consolo de que precisava. Ninguém, sabia lidar com sua angústia da perda como eu, que pelo timbre de voz e o seu semblante pesado suplicava aconchego. A substituta não tinha  tempo para se sensibilizar àquela dor que era só dele. Afinal, o tempo destinado a fantasia era efêmero e qualquer mudança de expectativa seria rejeitada. Somente, desejo e prazer estavam escritos na crônica do romance clandestino, o luto não era bem-vindo e em busca do sol deu-se a ausência hedonista, numa fuga impiedosa para o mar explicitando sua felicidade para quem quer que saiba. 

Não havia, como fazê-la sentir-se na pele do outro, o narcismo em comum de ambos, agora se vingara do próprio ingrato que me abandonara a própria sorte. Talvez, seu arrependimento nunca o faça voltar, mas certamente seu rancor pelo abandono emocional da atual será alimentado por inúmeras desconfianças e traições iminentes. Pois, sua natureza cruel e fria não hesitará na vingança. Pois, quando não há amor legítimo, a deslealdade vive a espreita, apenas esperando a oportunidade certa para se fazer presente.