... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

O silêncio da ausência...

"Os lugares que conhecemos não pertencem tampouco ao mundo do espaço, onde os situamos para maior facilidade. Não eram mais que uma delgada fatia no meio de impressões contíguas que formavam a nossa vida de então; a recordação de certa imagem não é senão saudade de certo instante; e as casas, os caminhos, as avenidas são fugitivos, infelizmente, como os anos." (Marcel Proust in 'Em busca do tempo perdido - no caminho de Swann')





Nunca mais o tilintar das chaves no início da noite soou aos meus ouvidos, pois Marcelo se dispersou em outros caminhos. Talvez, seja ele agora que anseia o som das chaves a espera de alguém. 

Dos novos sons compostos em músicas lançadas não eram mais compartilhadas entre nós. As misturas de palavras soadas na ansiedade dos debates não eram mais ouvidas. Os toques matinais e vespertinos do telefone foram silenciados. Até mesmo, os sons da concorrência desleal do jornalismo televisivo com as conversas no jantar não eram mais contestadas.

Nunca mais ouvi os sons da respiração ofegante em nossa alcova, dos beijos lascivos estalados, das risadas debochadas, do batuque das panelas no preparo das refeições, do quebrar da louça na pia ou do chamado carinhoso do meu apelido. 

Nem mesmo, os sons agonizantes dos roncos que me despertava dos sonhos, dos gritos coléricos de raiva ou dos escarros pela manhã havia mais. Apenas, uma lacuna jamais preenchida que me angustia o vazio. 

Assim, se deu os silêncios injustos e gritos mudos que me sufocam a alma.