... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

A angústia pela falta do Outro...




"O indivíduo, na sua angústia de não ser culpado mas de passar por sê-lo, torna-se culpado."
Soren Kierkegaard







Já havia um longo tempo que jazia minha alegria de viver. Meu semblante insosso vagava pelas ruas sem rumo. Os dias eram frios e sombrios, sem qualquer diferença entre o crepúsculo matutino ou vespertino. Os batimentos cardíacos se alternavam de vagarosos a galopantes, sem qualquer sinal emotivo repentino. Apenas, a literatura niilista e contos pessimistas me tomavam a atenção.

Meu sofrimento já estava cansado de me castigar e, cada vez mais, era inútil lançar das pílulas delirantes que não amenizavam meu padecer. O escapismo das emoções felizes de outrora, me deixara a psiquê vazia. Esse vácuo comprimindo meu peito, latejava de dor o âmago extenuado pela falta.

Mas, a falta extirpara minha essência, o desamparo ali estava, e me sufocando as entranhas. Não sabia lidar com àquela perda, a culpa me ardia como brasa, o pranto esgotado em vista do fracasso me aprisionara a alma, agora tão angustiada e, que por vezes fora tão livre, flutuante e leve como uma pluma voando sem destino. 

Ora ! Aquela culpa à mim imputada pelo abandono do outro, não era minha, senão o significante da sua própria culpa refletida no espelho.