... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Ilusão da perfeição...

"Lou,
Se eu sofro muito é irrelevante comparado com a questão de se, cara Lou, encontrarás ou não novamente a ti mesma. Jamais lidei com uma pessoa tão Infeliz como tu: ignorante mas atilada useira e vezeira em exaurir o conhecido sem gosto mas ingênua nessa deficiência honesta e justa em questões miúdas por teimosia geralmente. Na escala maior, toda a postura para com a vida - desonesta sem qualquer sensibilidade pelo dar ou tomar sem espírito e incapaz de amar no afeto sempre doente e próxima da loucura sem gratidão, sem vergonha para com os benfeitores em particular irresponsável malcomportada rude em questões de honra um cérebro com os primeiros sinais de uma alma personalidade do gato - o predador na pele de animal de estimação nobreza como reminiscência da familiaridade com pessoas mais nobres uma vontade forte, mas sem um objeto amplo sem diligência e pureza sensualidade cruelmente deslocada egoísmo infantil como resultado da atrofia e do atraso sexual sem amor pelas pessoas mas amante a Deus necessitando de expansão ardilosa, cheia de autodomínio em relação à sexualidade dos homens.
Seu F.N." (Irvin Yalom in Quando Nietzsche Chorou)

Alfredo havia trocado a estabilidade de um casamento duradouro por uma aventura sexual extraconjugal, julgando ter encontrado a verdadeira mulher de sua vida. Com isso, pouco se importou em magoar sua companheira de anos, abandonou a família e foi viver aquela paixão, sem culpa ou remorso.

Os encontros eram perfeitos, pois Luísa era submissa e estava sempre pronta para atender todos os seus desejos e fantasias. Proporcionava-o viagens, passeios, diversão e dedicação extremada. Totalmente perfeita à tudo que Alfredo almejava de uma mulher, obediente, delicada, religiosa, uma verdadeira gueixa.

Porém, mal sabia Alfredo do passado amoroso de Luísa, cujo lazer favorito era colecionar casos com homens comprometidos e, tampouco da tendência promíscua que a levava sempre a trair seus parceiros. Com uma habilidade ímpar em mentir e se desculpar.

Talvez, Alfredo inconscientemente tentava se punir pelas tantas infidelidades que cometera em seu casamento. E, estava agora morrendo do próprio veneno.