... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

E, se ela o traisse ?...

"Albertine tomou-lhe as mãos, acariciou-as, ergueu os olhos tristonhos em sua direção, e neles ele pôde ler o que ia pela mente da esposa. Naquele momento, ela estava pensando nas outras experiências dele, naquelas mais reais de sua juventude, muitas das quais eram do conhecimento dela, uma vez que, nos primeiros anos do casamento, cedendo com demasiada solicitude à enciumada curiosidade de Albertine, Fridolin contara ou - como freqüentemente lhe parecia - confessara a ela muita coisa que teria sido melhor guardar para si. Naquele instante, ele sabia, muitas recordações invadiam-na, de modo que ele não se admirou ao ouvi-la pronunciar, como em sonho, o nome semi-esquecido de uma de suas namoradas da juventude. E, no entanto, aquele nome soou-lhe como uma censura, ou mesmo como uma velada ameaça.

Fridolin aproximou as mãos dela de seus lábios.

'Em cada criatura - creia-me, ainda que possa parecer banal -, em cada criatura que julguei amar, estava apenas e sempre procurando por você. Sei disso melhor do que você é capaz de compreender, Albertine.'

Ela sorriu melancólica. 'E se também eu tivesse querido partir nessa busca?', perguntou. Seu olhar alterou-se, fazendo-se frio e impenetrável. Fridolin deixou que as mãos dela deslizassem para fora das suas, como se a tivesse flagrado numa inverdade, numa traição."

(Arthur Schnitzler in Breve Romance de Sonho)



Marcos e Vanessa viviam um casamento sólido e duradouro, pelo menos nas expectativas da mulher. Ela manteve-se leal e fiel durante os longos anos daquela união. Enquanto ele, na sua qualidade de macho, permanecera ao falso moralismo instituído unilateralmente, numa hipocrisia perversa que cobrava de Vanessa a verdade.

Não raras, as vezes, em que diante de verdadeiros inquéritos e acareações, Marcos questionava os romances da mulher no passado, bem antes de conhecê-lo. Sempre, confrontando datas, já esquecidas pelo tempo distante.

Todavia, Vanessa em sua mais profunda sinceridade se deixava dominar pela arrogância do marido, respondendo aos questionamentos e acreditando estar diante da cumplicidade de uma relação honesta. Muito embora, Marcos sempre fora arredio e crivado de segredos.

Não somente, as aventuras e casos extraconjugais do marido fosse o suficiente para que ele não fosse capaz de amar Vanessa, como também, a lealdade e a fidelidade da mulher geraram um ódio supremo.

Na verdade, Marcos, por ser desprovido de afeto e não conseguir jogar Vanessa em outros braços, para justificar suas traições, tornou-se o seu pior algoz. Travando assim, um sofrimento absurdo, até chegar a vingança da separação. Em que, ela jamais saberá o porquê de tanto rancor.

Talvez, se o houvesse traído, seu casamento seria indissolúvel.