... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A satisfação incompleta...

   "A relação sexual não existe" Lacan



Isso não quer dizer que não temos prazer no ato sexual em si, apenas a relação sexual idealizada pela completude não existe. Não nos tornamos inteiros como ansiamos pela satisfação sexual que estará sempre imperfeita. Afinal, o desejo nos impede de sermos inteiros porque se desejamos há a falta. 

As paixões nos arrebatam ao desejo, nos levando à entrega pelos beijos tórridos dos encontros furtivos. O tesão acelera os batimentos cardíacos, na ofegante troca de carícias que culmina no despir da alma. O olho no olho entre o entrelace das línguas afoitas é excessivamente prazeroso. O toque que arrepia aos sons dos gemidos alimenta o ego narcíseo. Nesse balé inusitado com troca de pernas e posições, clamamos pelo êxtase do orgasmo. Que num segundo adormece, esvazia, trazendo novamente a incompletude. 

Mas, as paixões são clandestinas e cansam o desejo que se esgotam. E, então, sentimos a falta, da tranqüilidade do amor que nos completa mesmo sem o calor efêmero da paixão. Pois é, no amor que tranqüilizamos o espírito, repartimos os planos e projetos de vida.

É na calmaria do amor que nos sentimos seguros e confortáveis, de modo que a relação sexual não existe.