... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

domingo, 1 de julho de 2012

A verdade sempre aparece da pior maneira possível...




"A humilhação é uma arma poderosa — mas do tipo bumerangue. Pode ser usada para demonstrar ou provar a desigualdade fundamental e irreconciliável entre quem humilha e quem é humilhado." 

Zygmunt Bauman in Amor Líquido 




Não há coisa pior, depois da separação, quando os segredos vêm à tona. Você sempre será a última a saber. Pois, todas as testemunhas se calam e, basta acontecer a separação que os esqueletos saem do armário aterrorizando um tempo difícil de esquecer.

Tatiana estava seguindo a vida, após uma separação dolorosa e agora, além de todo desamparo e os medos comuns de uma mulher separada, ainda se surpreendia com as notícias do passado. Bastava reencontrar algum conhecido do tempo de casada que lá vinham os segredos guardados das traições de Júlio, o ex-marido. 

É como se o luto não acabasse nunca, a cada descoberta mais uma dor. Talvez, as pessoas não fizessem por mal e todas as revelações pretéritas, chegavam nua e crua ao presente. Certamente, solidarizadas pelo sofrimento evidente estampado naquele semblante pesado, com os olhos opacos e as marcas afloradas em sua face que perdera viço, estimulassem os conhecidos a contar todo aquele silêncio culpado. Assim, como uma maneira de se isentar da culpa calada, acabavam contando pra fora cada traição sabida. 

Por mais que Tatiana se esforçasse em esquecer Júlio, era impossível porque sempre acabava sabendo dos deslizes testemunhados pelos outros. Sendo, obrigada a ouvir: "Não contei antes porque não queria estragar seu casamento, mas Júlio fazia isso e aquilo...". Sempre tinha alguém que ele havia dado uma investida ou alguma conhecida que fora caso dele. 

Aquilo era torturante, nauseante e o mais estarrecedor era que inclusive os homens mais chegados ao ex-marido, também comentavam às suas respectivas e fatalmente caía nos ouvidos de todos. Menos Tatiana sabia que fora enganada todo o tempo. Tendo que se sentir ridicularizada e humilhada.

Até as intimidades vazavam com detalhes, era como se a cada descoberta uma punhada se dava pelas costas. Corroborando com todas as desconfianças intuídas no decorrer do casamento. O cruel disso tudo, é se sentir refém daquelas inúmeras deslealdades, retornando todo sofrimento e o sentimento de tempo perdido, de ser enganada, ludibriada e até mesmo causando vergonha pelas situações vexatórias vividas.

Como se bastasse, Júlio foi mais além, com seus subterfúgios para justificar a infidelidade difamando a ex-mulher com mentiras plantadas de sua honra. Típico de um homem sem caráter e sem o menor respeito pela pessoa que esteve ao seu lado quase por duas décadas, mãe de seus filhos. 

O fantasma do casamento não deixava Tatiana em paz e a cada descoberta lhe trazia uma lembrança dolorosa, corrosiva de um tempo que servia apenas para ser esquecido. Pois, perdera total esperança no amor romântico.