... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

domingo, 3 de março de 2013

Todo o desamparo era a certeza do abandono...



"Tenho certeza que estou ficando louca de novo: sinto que não posso passar por outra daquelas fases terríveis. E não irei me recuperar desta vez..." 
Virgínia Woolf







Era uma sensação terrível de impotência que me paralisava a concentração, como se houvesse uma sombra negra sempre presente que atormentava minha alma. A vergonha do fracasso, a luta perdida por anos no enfrentamento da melancolia me ardia o peito, sobrecarregado de mágoas e àquela dor persistente nunca me deixava. 

Durante os dias o cansaço era insuportável, e nas noites eu florescia na solidão dos meus desabafos mudos. Não conseguia, suportar as mínimas atividades ou responsabilidades que fossem. Qualquer trajeto fora de casa era tão árduo e pesado que se esvaiam minhas forças. Mais, uma tentativa sem êxito e me culpava cada vez mais pelo transtorno da depressão. Procurava caminhos diversos, a fim de não encontrar pessoas conhecidas. As contas não paravam de chegar, a humilhação da mendicância me tirava a dignidade. 

O isolamento na caverna escura da solidão era minha segurança. Já não havia qualquer possibilidade que fosse suficiente para amenizar todo àquele sofrimento contido na iminência da loucura. Talvez, a loucura seja a defesa mais lúcida para suportar a insatisfação e o vazio deixado pela desilusão. Nada preenchia o vácuo deixado ao lado esquerdo da cama, ora compartilhada no pretérito mais que perfeito. O presente inexistia e tampouco, haveria futuro.

Todo o desamparo vivido era a realidade de que eu estava sozinha, sem ninguém nesse mundo. Tudo estava do avesso. Nada mais valia a pena...