... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Até a liberdade nos causa temor quando alforriados...

"Que nada nos sujeite.
Que a liberdade seja a nossa própria substância"

Simone de Beauvoir


Durante anos, fui me acostumando com a dor e vivenciando o sofrimento da solidão a dois que me tirava o prazer. Não inclinada à submissão, fui me revoltando a cada mágoa e me distanciando a cada rancor, numa tentativa ansiosa de sobreviver me entorpecendo pelos encontros de seres semelhantes que disfarçavam sua dor e sofrimento em busca de companhia para driblar a solidão escondida à cada alma opaca.

Àquele que se dizia companheiro, me chicoteava com palavras rudes e cobranças de falsa atenção. Para amar é preciso ser livre, sem amarras ou correntes. Mas, meu algoz me torturava num êxtase de prazer cruel que só ele se satisfazia, enquanto eu vagava no vácuo da existência ávida de amor.

A solidão me obrigara caminhar no fio cortante da navalha, me fazendo sangrar a cada dia. E, assim, fui seguindo quando o próprio vampiro me empurrara do penhasco num gesto perverso me jogando a liberdade. Mas, que liberdade amarga que só me fez jorrar lágrimas de sangue num âmago vazio e faminto de emoção. 

Assim, é a dor que quando passa estamos tão acostumados à ela, que o alívio nos causa o sofrimento da falta. Mesmo, que por àqueles que durante tempos nos feriu. (Claudine Garcy)