... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Cuidado ! Psicopatas podem estar por perto...

Frequentemente, lidamos com pessoas que entram em nossas vidas violando nossa confiança e nos arruinando. E, ainda nos deixam a culpa de que fracassamos. Cuidado ! Podemos ser vitimas fáceis e estarmos diante de um Psicopata ou Sociopata. Já que não existe culpa, afeto ou remorso na linguagem desses indivíduos.

Vale lembrar que "A noção do vínculo social estabelecido por meio de gestos vazios nos permite definir de maneira precisa a figura do sociopata... o uso da linguagem pelo sociopata corresponde paradoxalmente à noção corrente e sensata da linguagem como um meio puramente instrumental de comunicação, como sinais que transmitem significados. Ele usa a linguagem, não é envolvido nela, e é insensível à dimensão performativa. Isto determina a atitude de um sociopata em relação à moralidade: embora ele seja capaz de discernir as regras que regulam a interação social, e até agir moralmente na medida em que verifica que isso serve aos seus objetivos, falta-lhe o senso visceral do certo e errado, a noção de que simplesmente não podemos fazer algumas coisas, independentemente das regras sociais externas. Em suma, um sociopata pratica verdadeiramente a noção de moralidade desenvolvida pelo utilitarismo, segundo o qual moralidade designa um comportamento que adotamos as calcular inteligentemente nossos interesses (ao fim e ao cabo, todos nós nos beneficiamos se tentarmos contribuir para o prazer do maior número possível de pessoas): para ele, moralidade é uma teoria que aprendemos e seguimos, não algo com que nos identificamos substancialmente. Fazer o mal é um erro de cálculo, não um ato culpável." Slavoj Zizek in Como ler Lacan


Os psicopatas, "podem arruinar... famílias, provocar intrigas, destruir sonhos, mas não matam. E, exatamente por isso, permanecem por muito tempo ou até uma vida inteira sem serem descobertos ou diagnosticados. Por serem charmosos, eloquentes, 'inteligentes', envolventes e sedutores, não costumam levantar a menor suspeita de quem realmente são... bons amantes, bons amigos. Visam apenas o benefício próprio, almejam o poder e o status... são mentirosos contumazes, parasitas... líderes natos da maldade." (Ana Beatriz Barbosa Silva in Mentes Perigosas, O psicopata mora ao lado.



Rita de Cássia era uma mulher carinhosa, boa de cama, ativa, segura, estabilizada financeiramente, cristã, possuidora de todas as qualidades possíveis, era a mulher perfeita. Mas, costumava colecionar casos com homens comprometidos e não media esforços ou escrúpulos para acabar com os casamentos.

Sempre delicada, cordata e submissa, mentia, ludibriava, intrigava e não tinha o menor pudor em interferir na vida do casal. Sem culpa ou remorso, não conseguia se colocar no lugar dos outros e assim, era uma predadora.

Seus parceiros, amantes, jamais acreditavam que Rita de Cássia poderia utilizar de tão maquiavélicos métodos de lutar por suas conquistas. De contrapartida, as esposas vítimas desta mulher fria e calculista não tinham a menor chance de se defender das artimanhas engendradas que levavam seus casamentos à ruína.

Como se não bastasse, diante do triunfo de retirar os maridos dos lares familiares, ainda mantinha constantes crueldades com objetivo de afastar de vez, os maridos de qualquer contato com a família.

Se se interessasse por um homem, não havia obstáculos que ela não pudesse passar, começava investindo como amiga, gentil, se fazendo de compreensiva, escutando, tecendo elogios, mostrando preocupação e estudando como formar uma personagem capaz de atender aos anseios do homem escolhido. Se fosse preciso adotava inclusive as qualidades e a personalidade da mulher daquele homem. Investigava a vida da mulher minuciosamente, até dar o bote.

Daí em diante, a vida daquela esposa tornava-se uma verdadeira via crucis, até por um derradeiro fim no casamento e, a levar ao divã de um psiquiatra para tentar curar a depressão, ocasionada pela psicopata. Destruindo assim, mais uma família.