... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

O Deus morto !



Tão acabado, maltrapilho, sem viço, olhos opacos, cabelos doentes
Mesmo assim, se mostra arrogante
O pior de tudo foi o cheiro mofado

Céus ! Aonde está aquele homem ?
Com cheiro doce e amadeirado ?
Com olhos ternos ?
Com entradas de leve calvicie, mas cabelos saudáveis ?
Com vaidade ?
O belo

Acabou !
Em pouco tempo a vampira retirou todo seu sumo
Olhe para vc, agora !
Chega dar pena

Pois, não terás olhos brilhantes ao estarrecer de um orgasmo
Não terás uma mulher sincera ao teu lado
Não terás emoções que impulsionam a paixão
Assim, como não terás a bela adormecida em teus braços

Enganaste ao nutrir fantasias intermináveis pelas sardas
Pois, não são manchinhas saudáveis de sol
São marcas do fracasso

Hoje és refém da feiúra insossa
Daquela com cabelos ressecados
Pele sem viço
Cheiro azedo
E, o pior de tudo sem vida !!!

Fizeste par com a escória e assim, como os porcos
Sobrar-te-á os farelos
Mas, como estás cego feito Édipo
Acreditas que estás no Olympo
Que ironia !

A Narcisista está em êxtase
Por ter finalmente, depois de tantas andanças infrutíferas
Pelos casais em crise
Ter tirado o Apolo da bela
Que já fora, deus um dia
Mas, que sem a bela hoje não passa
De um mortal escondido na multidão
Já nem tem mais altura digna dos guerreiros
Tornou-se isto !
Tão acabado, maltrapilho, sem viço, olhos opacos, cabelos doentes...
(Claudine Garcy)