... Em sentimentos que envolvem o universo feminino, pois “Não se nasce mulher: torna-se.” (Simone de Beauvoir)
A dualidade de sentimentos que envolvem o Universo Feminino.

São tantos os sentimentos em busca da identidade feminina, cujos contratempos das emoções transbordadas vão do êxtase secreto à cólera explícita...

Esse blog é um espaço aberto acerca de relatos e desabafos relativos as alegrias e tristezas, felicidades e angústias... Sempre objetivando a solidariedade e ajuda ao próximo.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Solidão...

Andando pela cidade
vou seguindo um caminho automático.
A paisagem urbana é cinza,
por isso não me dou conta
de quanto meus olhos
estão acostumados ao vazio.
Sem a mínima perspectiva
não preciso nem olhar o relógio,
já que não há ninguém a minha espera.
Aliás, a impressão é de que o tempo parou
e não existe amanhã ou existirá futuro.  

 












Solidão me acompanha a cada passo vazio
que ao passar pelas vitrines
nem a minha imagem pode ser refletida nos vidros.
Há quanto tempo não me vejo no espelho,
será que ainda vivo ?
Não tenho sede ou fome,
apenas sono para me libertar desse sofrimento.

 












Mas, nem nos sonhos
sou capaz de escapar da dor
e subitamente acordo angustiada, 
amedrontada dos pesadelos reincidentes
que insistem em me acompanhar
como uma forma de me escravizar.
Não há mais nada,
nem o sossego das noites
que se perde nesse turbilhão de amargura
que me seca o íntimo.











Amanhã nascerá outro dia
nublado e cinza,
que já nem sei se é real ou construído
nos meus delírios do vácuo de minha alma.
Novamente, arrastar-me-ei
perdida entre as ruas da cidade
sem rumo ou destino.
E, assim irei atônita vagando por aí...